[Missão] Herói Torna-se Traidor

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Vougan Morte em Ter 23 Out 2012, 23:38

O Vougan e os Querubins chegaram por volta das 13h22m há sua nova casa, mas antes disso houve 2 horas de despedidas entre os querubins, mais 12h30m a andar de avião e 1 hora a andar de carro. Nesse tempo passaram a ver filmes, a ouvir musicas e a estraga-las enquanto cantavam, a dormir, a falaram uns com os outros, a comer e beber, a aborrecer e chatear o Vougan.

A sua nova casa situava-se no distrito Virgínia, na cidade Orange num quarteirão a 3 casas do seu alvo. Sua casa com primeiro andar continha dois quartos e duas casas de banho, no resto-chão continha a cozinha, uma sala de estar/jantar, uma casas de banho, uma mini despeça e um pequeno escritório. O quarto maior era para as mulheres, onde continha uma cama, um beliche e uma casa de banho, enquanto o quarto mais pequeno era para os homens, onde só continha duas camas.


Vougan chamou os agentes para o sofá no fim de todos já terem tido tempo de comer e arrumar as suas coisas no seu devido lugar. Ele esperou até que todos se sentassem e então disse:

- É a hora de saberem os últimos pormenores da missão! Todos nos seremos filhos do mesmo pai, mas de mães diferentes. AvrilBi, agente número 82 e Kerry1, agente número 8, ambas serão filhas da mesma mãe. Aki, agente número 57 e Jo, agente número 64, ambos serão filhos da mesma mãe. O nosso pai deixou-vos ao meu encargo porque não queria e não podia cuidar de vocês, em troca de me deixar vir estudar e trabalhar para onde eu queria. A Mãe da AvrilBi e da Kerry1 abandonou-as, enquanto a mãe do Aki e da Jo morreu. – Vougan fez uma pequena pausa e então continuou – AvrilBi, qual é o objetivo desta missão?

- Infiltra-se na família Missy, fazendo amizades com os seus filhos. Retirar e encontrar todas as informações sobre Fergus Missy, que o condene e que diga a sua localização. – Respondeu AvrilBi

- Boa resposta! – Afirmou Vougan - Tenho a dizer que esse não vai ser o vosso objetivo nesta missão.

- Como assim? – Perguntou Kerry1 – Os papeis que nos deram era isso que nos pedia.

- O senhor Fergus Missy não e uma pessoa qualquer e o que esta escrito nos papeis é o nosso Objetivo Oficial. O nosso verdadeiro objetivo é retirar e encontrar todas as informações sobre Fergus Missy, que prove sua inocência. – Disse Vougan – Como é um Objetivo Não-Oficial, não estará nos papéis. Podem começar a decidir os vossos nomes e o nosso apelido, o meu nome é Edward.

_________________

Vougan Morte
T-Shirt Branca
T-Shirt Branca

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 77
Reputação : 0

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Aki em Qua 24 Out 2012, 15:26

Eu e as minhas irmãs provisórias estávamos sentados a ouvir o Vougan.
- Podem começar a decidir os vossos nomes e o nosso apelido, o meu nome é Edward.- conclui ele. Vougan tinha-nos apanhado desprevenidos ao dizer que o objectivo não-oficial da missão era tentar provar ao máximo a inocência de Fergus Missy e não o contrário. Subitamente Vougan perguntou-me:
-Aki, qual é o teu objectivo nesta missão?
Eu ponderei um pouco antes de responder.
-Hum... Tenho de me tornar amigo ou namorado da Grace Missy... Ganhar a sua confiança de modo a que ela me leve lá para casa para conseguir colocar escutas e ver alguns documentos para tentar encontrar o paradeiro do nosso alvo, ou a partir de agora caso provar a sua inocência. Ah já agora para esta missão quero chamar-me Jake, e o nosso apelido de família podia ser Walker. Que vos parece?

Aki
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 68
Reputação : 0
Idade : 21
Localização : a minha mãe não me deixa que vos diga

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Jo em Qua 24 Out 2012, 17:14

- ...e o nosso apelido de família podia ser Walker. Que vos parece? - perguntou Aki.
-Eu gosto de Walker. E eu posso chamar-me Nicole - respondi. - Ah, e o meu papel na missão é aproximar-me de Tyler, que é irmão de Grace, o alvo do Aki, e aproveitar esta proximidade para encontrar provas da inocência do senhor Fergus Missy.
Terminei de falar. Agora estava a pensar que aquilo seria mais dificil do que eu esperava. Mas pronto, eu até gosto de desafios.

Jo
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 1098
Reputação : 0

Experiência de Agente
Estudos e Estratégia:
0/2500  (0/2500)
Experiência de Missão:
0/2500  (0/2500)
Capacidade Física:
0/2500  (0/2500)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  KERRY1 em Qui 25 Out 2012, 15:50

- Na boa o apelido de Walker fica bem. Mais um pouco e ficava walking dead xD.
- Tipo zumbies, assim não dava pk assustavamos os nossos alvos e o Tyler ia fugir de mim a sete pés. - disse jo
- O meu nome vai ser Susan Walker e vou ter de cortezar o giraço Thomas Zcar Missy para conseguir ter sucesso na missao.
Enquanto o resto do grupo dizia mais nomes e planeavam as suas estratégias pus-me a pensar: É pah esta cena de ser heroi e depois ser vilão está espetacular. Por detras disto tudo deve estar uma historia incrivel.

KERRY1
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 57
Reputação : 0
Localização : top scret

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Dabila Nami em Sab 27 Out 2012, 10:56

Os querubins já tinham escolhido os seus nomes por isso Vougan disse:

- Como todos já decidiram os vossos nomes e o nosso apelido que é Walker. – Vougan fez uma pausa e então continuou - Agora digam-me o que já sabem acerca dos vossos alvos.

Enquanto eles davam a resposta, Vougan se alevantou e foi acrescentar os últimos detalhes que faltava para os papeis da sua escola. No fim de rever se não faltava nada e de mandar voltou-se a sentar no sofá a ouvir o resto.

_________________




Agente: 006

Dabila Nami
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 1434
Reputação : 2
Idade : 22
Localização : confidencial

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Jo em Ter 30 Out 2012, 21:03

-Bem, não posso avançar muito ainda. Sei apenas o que está nos artigos, as pessoas que Tyler gosta e aquelas com que ele menos se dá. Ele gosta de lutas e de competição. Eu irei usar isso a meu favor, pois adoro competição e não desgosto deste mundo das lutas e afins. Pronto, acho que é só isto. Ah, também sermos da mesma turma ajuda um bocadinho - respondi.
Depois, passámos a tarde toda a falar da missão e quando ficamos com a certeza que estava tudo ok, podemos dar início a uma rápida arrumação, só para não andar tralha pelo chão.
Depois de jantarmos, fomos para os nossos quartos para concluir a arrumação.
-Eu fico na de baixo! - avisei, logo que entramos. Fui a correr, só para impor a minha vontade.
Eu gostava de dormir em beliches, era uma cena diferente. Mas não podia ir para a cama de cima, pois era provável eu me matar no chão. Então, tinha de optar pela cama de baixo.
-Ai, estou tão nervosa por amanhã - disse-lhes, quando já estávamos prontas para dormir.
No dia a seguir, seria o meu primeiro dia na escola nova. Dia esse que podia ser decisivo. Tinha de começar com o pé direito.
-Não és a única.
-Primeira missão, ouve lá. Ai, nem sei o que sentir. Bem, boa noite - desejei.
-Boa noite.
-Ah, desculpem, mas eu respiro um bocadinho alto enquanto durmo - avisei-as, só para não serem apanhadas de surpresa.


Última edição por Jo em Qua 31 Out 2012, 17:36, editado 2 vez(es)

Jo
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 1098
Reputação : 0

Experiência de Agente
Estudos e Estratégia:
0/2500  (0/2500)
Experiência de Missão:
0/2500  (0/2500)
Capacidade Física:
0/2500  (0/2500)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Aki em Ter 30 Out 2012, 23:23

Vougan perguntou o que sabíamos sobre os nossos alvos e eu respondi:
-O meu alvo é a Grace Missy, tem 15 anos. Gosta de pintar, principalmente paisagens, isso é uma vantagem porque eu gosto de desenhar e por isso posso me aproximar dela com o propósito de falarmos sobre arte. Uma desvantagem é ser muito protegida pelos irmãos e primos, pois tem problemas de coração e é a única rapariga do "grupo". Logo os irmãos podem me achar um invasor do espaço dela, mas vou avançar com calma... A Grace gosta de estar com as amigas e passa muito tempo com elas as quartas e sextas da parte da tarde, pois é quando não tem aulas. Eu sei que o meu objectivo principal é ela, mas como vou para a turma dos irmãos dela o Tyler e o Lyam, posso me tornar amigo deles e depois de ganhar a confiança deles, conhecer a Grace. Ah e assim também posso apresenta-los a Avril e a Jo, é o plano PERFEITO ahhahahaha!
-Controla-te, Aki...- repreendeu Vougan, mas também ele tinha um sorriso na cara. Ouvi atentamente as outras agentes e ficamos o resto da tarde a tratar da preparação da missão, quando Vougan chegou a conclusão que estávamos preparados, fomos arrumar a casa. A seguir fomos jantar, lasanha congelada e depois estafados fomos para a cama, por ser o único agente rapaz tive direito a um quarto so para mim enquanto as raparigas ficavam juntas, antes de entrar no meu disse a elas, com um bocejo:
-Bom durmam bem...
Elas agradeceram e eu entrei, era parecido com o meu no campus só não tinha casa de banho e cama era individual. sem me preocupar com o resto atirei-me para cima da cama totalmente vestido e adormeci.

Aki
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 68
Reputação : 0
Idade : 21
Localização : a minha mãe não me deixa que vos diga

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  AvrilBi em Qua 31 Out 2012, 22:34

Já tinhamos decidido os nomes com os quais ía-mos ter de ficar durante o tempo que teríamos de missão. O meu era Avril Walker. Eu tinha preferido manter o meu nome, só para jogar pelo seguro. Eu nunca tinha estado numa missão antes, e esta estava a ser cheia de surpresas. Tinha de me dar com o Adam Zcar Missy, um rapaz com 16 anos, mas eu estava na turma dele, pois ele chumbou um ano. A aproximação não seria muito complicada, pois ele gosta do mesmo tipo de músicas e de estilos que eu, ou seja: roupas mais para o preto, embora não fossemos punks. Ele até era giro, e uma coisa que é excelente é o facto de que ele é o que tem uma relação mais pegada com o pai de todos os irmãos.
Depois de vista a casa, que era até numa rua bastante agradável, estava na altura de decidir-mos quem ficava onde no quarto.
- Eu quero fico no beliche de cima ou então na cama individual!!!- disse eu, embora sem esperanças de ficar na cama individual... As outras apressaram-se a responder.
ENtretanto ao lavar os dentes ia pensando na missão. Haviam dois rapazes com mais ou menos a minha idade e eu tinha de me tentar dar com eles. Já era tarde e amanhã havia o primeiro dia de escola, ou seja: pessoas a olhar desconfiadas por todo o lado e uma soneira horrível se não me fosse deitar depressa.


Última edição por AvrilBi em Sex 09 Nov 2012, 17:05, editado 2 vez(es)

AvrilBi
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 184
Reputação : 0
Idade : 19
Localização : Estou em todo o lado!!!

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  KERRY1 em Dom 04 Nov 2012, 18:39

- O meu alvo que é o Thomas Zcar Missy, ambos gostamos de desporto por isso nao será dificil interagir com ele, para nao falar tambem dos caracois nao será dificil marcar um encontro entre ele, eu e os caracois (com molho picante xD). Parece que ja tamos todos com as ideias no lugar, agora vamos é dormir.

Aki dirigiu-se para o seu quarto, sim o seu porque é o unico rapaz e tem um quarto so para ele, sortudo, dise-nos boa noite e entrou. Nós entramos no nosso quarto, jo ficou no beliche de baixo eu no beliche de cima e a avril na cama individual. Na manha seguinte...

KERRY1
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 57
Reputação : 0
Localização : top scret

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Jo em Dom 04 Nov 2012, 20:08

Na manhã seguinte, acordámos todos cedo. À hora prevista já estávamos a tomar o pequeno almoço. Era o primeiro dia e nós estávamos entusiasmados, por isso é que estávamos tão certinhos com os horários. Mas apostava que para a semana já iam haver aqueles queixumes para estar na cama mais um bocadinho ou algo do género.
Ora bem, primeiro dia de aulas na nova escola.
-Eu ainda quero ir ao quarto de banho, por isso até mais logo – disse, um bocadinho depois de termos passado os portões da escola.
Depois de seguir as indicações da contínua, encontrei um wc.
-Raio de sorte! – praguejei o ver novamente o horário. Já tinha tocado para entrar há uns minutos e tinha-me esquecido onde era a sala.
Entrei num dos edifícios, mas continuei desnorteada pois os números das salas estavam muito longe dos do horário.
Enquanto subia as escadas, um grupo de rapazes, cujas caras me eram familiares, interpelou-me.
-Estás perdida? – gozou um deles.
Eu até alinharia na brincadeira, mas já sabia quem eles eram. As fotos deles estavam num dos ficheiros que estudara e eles eram tudo, menos amigos de Tyler.
-Anda, bebé. Nós tomámos bem conta de ti – agarrou-me o pulso.
Puxou-me e eu tive de olhar para ele.
-Deixem-me! – mandei, num tom não muito alto, pois não queria gritar ali no meio.
-Ui, já a dar ordens…
Irritei-me. Não o deixei continuar. Puxei o braço que ele estava a agarrar para mim. Como ele não estava a contar com aquele puxão, veio na minha direção. Aproveitei e dei-lhe um murro certeiro.
“Carago, estou lixada”, pensei quando vi que não conseguia fugir do círculo por eles formado. Tinham ar de quem não se importava de fazer um cinco para um, mesmo que esse “um” fosse uma rapariga.
-Deixem a miúda em paz – olhámos todos para cima das escadas.
O meu “salvador” aproximou-se e fez sinal para eu ir ter com ele. Os rapazes deixaram-me passar.
Quando cheguei à sua beira, ele pôs o braço sobre os meus ombros.
-Pff, a sério? Vocês desceram a este nível?
-Não é que tu sejas um exemplo a seguir – disse o gajinho que levou, com dificuldade. O lábio dele estava a sangrar. Nem acreditava que eu tinha feito aquilo.
-Não se enterrem… eu nunca cheguei ao ponto de tentar bater numa miúda.
Eu estava atónita a olhar para eles. A minha mão direita continuava a doer e quando olhei para ela, reparei que tinha os nós dos dedos esfolados.
-Não esperes pela demora – dirigiu-se a mim. Não estou a exagerar quando digo que senti toda a sua raiva.
-Ela agora está comigo. Se ela vier amanhã com um fio de cabelo partido, vocês ficam sem cara.
Senti-me corar. Era estranho. Ele estava a ser super protetor, o que me deixava envergonhada. Ainda por cima, ele não me conhecia de lado nenhum!
-Pois… - cuspiu antes de bazarem.
Tirou o braço dos meus ombros.
-Obrigada – agradeci-lhe.
-De nada – sorriu.
Agarrou-me o pulso e olhou para a mão.
-Acho que lhe partiste uns dentes – gozou.
Lembrei-me da sensação que senti na mão quando lhe dei o murro. Tinha sido chocante.
-Eu trato disto – ofereceu-se, depois de ver melhor a ferida.
-É melhor não… já deves estar atrasado. Diz-me só onde é a enfermaria.
-Vais à enfermaria e como dizes que fizeste isso? Deste um murro à parede, é?
Baixei o olhar.
-Já é habitual eu chegar atrasado, por isso não stresses.
Descemos as escadas e ele levou-me até a uma dispensa. Abriu a porta.
-Meninas primeiro – disse.
Entrei sendo seguida por ele. Acendeu a luz.
Foi a uma das prateleiras e pegou no estojo de primeiros socorros.
-Algo me diz que não é a primeira vez que aqui vens – deduzi.
Limitou-se a sorrir.
-Olha, gostava de dizer que não ia doer nada. Mas não te quero mentir.
Fiz um trejeito com a boca.
-O que arde cura, não é verdade?
-Yap – concordou, enquanto lavava a ferida com cuidado.
Depois de desinfetar, cobriu o esfolado com gaze e enrolou um tecido para a suster.
-Obrigada… A sério.
-De nada. Eu também já ganhei o dia a ver aquele murro. Ele precisava de acordar.
-Tu viste?
-Eu já estava ali há algum tempo. Queria ver como terminava. Vê-se que já praticaste alguma cena, estou enganado?
-Não – sorri. – Mas como sabes? Percebes disto?
Ele encolheu os ombros.
-Também tenho umas noções.
Saímos da dispensa.
-O meu primeiro dia de aulas começou mesmo bem – ironizei.
-Prometo que eles não se metem contigo. Então, onde é a tua sala?
Tirei o horário da pasta e mostrei-o.
-Oh, eu não sei ainda bem o meu horário. Mas eu acho que temos as mesmas disciplinas. Fixe.
-A sério?
-Parece que vais ter de me aturar durante mais tempo – pôs a língua de fora.
Revirei os olhos, mas no fundo estava super contente. Quer dizer, até foi fácil.
-A stora de inglês é porreira? – perguntei.
-Esquece. Com ela não tens hipótese se fizeres alguma coisa. Mas porque perguntas?
-Tipo, estamos quase no primeiro toque. Se ela marca falta, acho que não vale…
-Ui, és uma rebelde, estou a ver.
-Não é nada disso – defendi-me para ele não pensar que só me estava a armar. – É só que se já vou ter falta e já, para quê aparecer?
-Bem pensado – disse antes de me agarrar o pulso da mão boa e levar-me para não sei onde.
Sorri ao lembrar-me de quando ele me tinha defendido. Ele levou-me para uns bancos, perto dos campos desportivos.
-Ah, já agora eu sou o Tyler – apresentou-se.
-Nicole.
-Gosto do nome, Nick.
-Gostas tanto que já arranjaste uma alcunha?
Pôs a língua de fora.
-Então, como vieste aqui parar?
Contei-lhe a história que tinha sido previamente combinada pelos envolvidos na missão.
-Mmm, que confusão – disse quando eu falei dos meus irmãos.
-Nem é assim muita – sorri.
-Já estás habituada à ideia.
Encolhi os ombros.
Ficámos em silêncio. Estava a tentar arranjar assunto de conversa, mas nada me ocorria.
-Então, o que praticaste para saberes aquilo? – perguntou. Fiquei contente novamente, porque ele parecia deveras interessado.
-Karaté e Taekwondo. Sempre gostei deste género de arte.
-Mmm, estou a ver. Eu prefiro mais luta tipo boxe ou estilo livre. Pratico quase todos os dias com os meus colegas.
-Não é estranho para ti combateres com os teus amigos?
-A início sim, mas depois já não faz confusão.
-Foi a lutar que fizeste isso? – apontei para a sua sobrancelha, que tinha uma falha devido a uma cicatriz.
-Yap. Foi há um ano. Fui contra um poste do ringue e esta cena abriu.
-Auch.
-Não doeu na altura. O pior foi tirar os pontos. Mas, pronto, as miúdas até gostam.
-Eu não gosto.
-Gostas sim.
Encolhi os ombros.
-Vá, até dá um certo charme – admiti.
Vi mos o grupo de rapazes da outra vez a sair da parte de trás do ginásio, em direção aos portões da escola. Fiquei um bocadinho apreensiva. Eu não queria mesmo nada ter-me metido em problemas.
Ele apercebeu-se disso e agarrou-me na mão esquerda, a “boa”.
-Eles já não te irão fazer nada.
-Oh pá, desculpa, mas porque te sujeitas a meter em problemas por causa de alguém que nem conheces?
-Eu não me vou pôr em problemas – sorriu. – Eu não os gramo nem por nada, para além disso estamos sempre pegados. Se não fosse por ti, seria porque está sol hoje. E eu conheço-te. És a Nicole, mais conhecida por Nick.
-És o único que me trata por Nick – informei-o.
-E eu já valho mais que meio mundo.
Revirei os olhos, mas não esqueci o facto de ele não me ter largado ainda a mão.
-E as aulas, meninos? – assustei-me, pois estava perdida nos meus pensamentos. Olhei para ele e reparei que ele estava a observar-me há algum tempo, pois desviou o olhar daquela forma característica e percebi que estava a nascer um certo rubor na cara dele.
Estava uma mulherzinha à nossa frente.
-Olá, storinha – disse ele. – Estou a preparar a Nicole psicologicamente antes de conhecer a turminha.
-Pois… tenham juízo – foi-se embora.
-Esta stora é mesmo fixe – disse. – É a nossa de educação física.
-Ya, parece simpática.
-Mas ela é bué preocupada. Nós um dia fizemos aquilo do índice de massa corporal e a minha deu excesso de peso. E ela passou as duas semanas seguintes a dizer-me que eu estava bem, que eu pesava de mais por causa do músculo. Ela chegou mesmo a fazer-me um teste para a percentagem de massa gorda para eu ter a certeza que estava em excelente forma. Devia ter medo que me tornasse anorético ou algo do género. A sério, logo eu, que tenho perfeita noção deste corpinho… – gozou.
-Mmmm, estou a ver que não és nada convencido – entrei na brincadeira.
-Realista, Nick.
-Já tiveste alguma alcunha que não gostasses?
-Detesto quando me chamam Ty, mas porque perguntas?
-Sempre que me chamares Nick, chamo-te Ty.
-Não me disseste que não gostavas de Nick – defendeu-se.
-Ah, então…
-Agora é que não vou mesmo parar de te chamar isso – interrompeu-me, começando a rir-se.
-Experimenta, Ty.
Piscou o olho.
Era estranho como havia pessoas que conseguiam a nossa confiança tão facilmente. Tyler conseguira, parecia que não o conhecia há apenas uma horita. Parecia que já nos dávamos há meses.
-Então, qual é o segredo para teres esse corpinho? – voltei ao assunto inicial.
-Ginásio, todos os dias.
-Existe um ginásio aqui perto? – entusiasmei-me. – Sabes se dá para eu me inscrever? Eu também ia a um da minha antiga cidade e acho que o meu corpo vai-se ressentir se eu não fizer nada urgentemente.
-Não vão muitas miúdas lá. Mas se fores comigo não há problema. Eu hoje falo com o dono e amanhã digo-te qualquer coisa.
Tocou para sair.
Escusado será dizer que passei o resto do dia com ele. Até nas aulas fez questão de ficar comigo, pois, para ele, ficar com o irmão (Aki) não contava, pois assim não estava a socializar com pessoas novas.
Falámos acerca de muita coisa e dei-me conta que estava a ser verdadeira com ele. À parte daquela mentirinha acerca do meu passado e isso, quem estava a falar com ele era a Jô.
Deu para perceber que ele não estava muito disposto a apresentar-me aos seus amigos. Mas também por agora não era assim muito importante. Ele devia querer conhecer-me melhor para ver se eu era o tipo de pessoa facilmente aceite no seu grupo.
Cheguei a casa. Ok, não tinha feito um progresso extraordinário, mas o balanço era positivo.
-Que sorriso idiota é esse, menina? – perguntou Aki enquanto víamos TV.
Acordei.
-Alguém está apaixonado nesta sala – insinuou Kerry.
-Oh, não me chateiem – pedi, olhando novamente para a televisão.
Mas passados uns minutos estava novamente perdida, a lembrar-me do que se tinha passado naquele dia.

Jo
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 1098
Reputação : 0

Experiência de Agente
Estudos e Estratégia:
0/2500  (0/2500)
Experiência de Missão:
0/2500  (0/2500)
Capacidade Física:
0/2500  (0/2500)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Aki em Dom 04 Nov 2012, 22:05

Na manhã seguinte os outros acordaram absurdamente cedo para o meu sistema, mas como era o primeiro dia fiz um esforço e levantei-me também. Decidi tomar um banho rápido e em dez minutos estava na pronto na cozinha com chocapic a frente.
Pouco depois de chegarmos a escola a Jo separou-se de mim e das minhas "irmãs" para ir a casa de banho. Quando chegamos a um corredor eu fui para um lado enquanto a Avril e a Kerry foram para outro. o meu horário dizia "Inglês, sala 14" como sorte cheguei lá e vi logo o Lyam mas o Tyler não estava lá. Coloquei a mochila entre a pernas e encostei-me a uma parede a espera da professora. Passado uns minutos ela chegou e entrou na sala com uma cara maldisposta, eu deixei-me ficar até todos os alunos terem entrado também, depois bati à porta e disse relutantemente:
-Ahn... Bom dia professora, eu matriculeime nesta escola e hoje é o meu primeiro dia e se não me enganei esta é a minha sala...
Todos viraram abrutamente a cabeça para mim e eu senti-me bastante pequeno, a professora olhou para mim durante uns momentos e perguntou brutamente:
-Nome!
-Jake Walker...
Ela foi ao livro de ponto verificar.
-Sim, Walker, estás aqui... muito bem senta-te onde houver lugar, e rápido que não quero perder muito mais tempo.
Vi uma carteira vazia, atrás do Lyam e dirigi-me para lá, todos olhavam para mim com algum interesse.
-Sabes essa mesa é onde o meu primo se senta...- disse ele quando me sentei, tentava por um ar ameaçador mas tinha também um ligeiro sorriso na cara o que o denunciou, por isso desafiei-o também
-Oh a sério? Bom eu acho que ele não vem, dei-lhe uma tareia ainda há pouco.
-Ai sim? Então porquê?- disse ele a sorrir.
-Não fui com a cara dele- respondi no mesmo tom.
-Por acaso gostava de te ver a andar a porrada com ele. Sou o Liam.
-Jake- e trocamos um aperto de mão.
-Então porque mudas-te de escola?
Contei-lhe a história previamente estudada e quando terminei ele disse:
-Três irmãs, duas delas meias-irmãs, já papas-te alguma?
-Achas...?- perguntei retóricamente e lançando-lhe um ar ligeiramente carrancudo, ele riu-se.
-Então podias apresentar-me uma delas?
-Posso ponderar na tua dor...
-Parece me bem!
-Meninos, SILÊNCIO!- gritou a professora para nós, mas toda a turma estava a falar portanto dissemos que sim com a cabeça e continuamos a falar.
-E tu tens irmãs?
-Uma mas nem penses em aproximar-te dela! terás de passar por mim e pelo meu primo!
-Ai sim então se eu vos der uma tareia aos dois posso tentar alguma cena com a tua irmã?
-Talvez, mas gostava de te ver a tentar!
-É quando quiseres meu!
Rimo-nos, eu gostava do Liam era o meu estilo de pessoa, passamos o resto da aula na conversa, a única coisa que me intrigava era não haver sinais da Jo. Quando acabou a aula fui encontra-la com o Tyler mas preferi não incomoda-la, Liam tomou a mesma atitude em relação ao primo. O dia passou-se rapidamente e quando nos fomos embora eu e o Liam já parecíamos grande amigos. Estávamos a ver televisão quando eu disse à Jo:
-Que sorriso idiota é esse, menina?
Ela pareceu acordar dum sonho.
-Alguém está apaixonado nesta sala – insinuou Kerry.
-Oh, não me chateiem – reclamou ela, olhando novamente para a televisão.
Eu comecei a rir-me e disse em tom de gozo:
-Aquele Tyler é todo bom, papava-o todo.
A Kerry e a Avril desmancharam-se a rir mas a Jo não deu mostras de ter ouvido o comentário.

Aki
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 68
Reputação : 0
Idade : 21
Localização : a minha mãe não me deixa que vos diga

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  KERRY1 em Dom 11 Nov 2012, 16:51

Como era o primeio dia de aulas, nao quera chegar atrasada por isso levantei-me a tempo e horas, tomei o pequeno almoço com os meus irmao e depois de jo ir á casa de banho fui eu.
A jo separou-se de nós á entrada da escola, o aki subiu connosco o primeiro piso e virou para o lado oposto, enquanto que eu e a AvrilBi fomos para o outro.
- Bem no meu horario tem "Biologia - sala 23", parece que nos separamos aqui. Até ao intervalo. - disse a AvrilBi.
AbrilBi continuou em frente e eu abri a porta 23.

- Olá stor posso entrar, eu sou nova aqui, acho que é esta a minha sala?
- Acho que é esta a minha sala. - disse alguem com voz de gozo.
- O menino esteja calado se nao quer ser expulso. Qual é o seu nome menina?
- O meu nome é Susan Walker. - disse eu.
- Muito bem é esta a sua sala, pode sentar-se em qualquer lugar.

Olhei para a sala e que lugares tinha? Um lugar perto do rapaz que gozou comigo e outro duas cadeiras mesmo atras do meu alvo. Dirigui-me até ás cadeiras atras do meu alvo e o rapaz que tinha gozado comigo, olhou pra mim e riu. Eu pensei deixa estar que tu vais ver.

A aula passou e faltavam apenas 10 minutos para dar o toque.

- Meninos na proxima aula vou trazer-lhes um teste diagonostico. É um texte só de cruzinhas e verdadeiros/falsos por isso será facil faze-lo.

O rapaz que pegou comigo, que se chamava Mike, começou-se a rir e virou-se para o professor:
- Hum stor e se por acaso nos estivermos cansados?
- Cansados de que?
- Digamos de... extrema actividade sexual?

O stor ficou um pouco chocado, ao que eu pensei é agora que me vingo.

- Ei Mike, se nao consuires escrever com a mao direita, sugiro que uses a esquerda, ou se nao te conseguires sentar, podes sempre fazer o texte de pé.

Começaram-se todos a rir e o rapaz ficou a olhar para mim com cara de poucos amigos. Reparei que o meu alvo falou com o companheiro do lado.
Deu o toque e eu dirigi-me para a porta, uma mao agarrou-me no braço direito e disse-me:
- Na proxima aula podes sentar-te á minha veira?
- Já está ocupado. - disse eu
- Agora já nao está mais. Ha e se tiveres algum problema com o Mike é so dizeres-me que eu e o meu irmão tratamos dele e do seu grupinho. - disse thomas.
- Ok obrigado. - disse eu.

No resto das aulas, a distancia dos lugares entre mim e o thomas eram grandes, por isso ele foi falando com os seus colegas e avisou-me que em todas as aulas ficaria a seu lado.
Nunca pensei que a minha piada fosse ser um meio para me dar bem com ele, mas parece que resultou. Durante os intervalos fomos conversando e quando chegou o fim das aulas, despedimosnos em frente ao portao da escola.
Quando cheguei a casa estavam todos a ver televisão. Fui pousar a pasta e fui-me sentar com eles no sofa . Aki perguntou à Jo:
-Que sorriso idiota é esse, menina?
Ela nao respondeu por isso eu falei.
-Alguém está apaixonado nesta sala – insinuei eu.
-Oh, não me chateiem – reclamou ela, olhando novamente para a televisão.
Aki começou a rir-se e disse em tom de gozo:
-Aquele Tyler é todo bom, papava-o todo.
Eu e a Avril desmanchamo-nos a rir mas a Jo não deu mostras de ter ouvido o comentário.

Estavamos a ver televisão quando vougue veio ter connosco e pediu um relatorio sobre como tinha corrido o dia.


Última edição por KERRY1 em Seg 12 Nov 2012, 19:52, editado 1 vez(es)

KERRY1
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 57
Reputação : 0
Localização : top scret

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  AvrilBi em Dom 11 Nov 2012, 17:49

No primeiro dia de aulas levantei-me com alguma dificuldade. Vesti-me com uma saia curta e justa e um top preto com o ombro à mostra. Uma coisa que era boa nesta escola era que não era preciso usar farda.
Chegámos à escola, e, depois de ter dito adeus a Kerry, segui em frente no corredor em direção à sala nº 30, mas, assim que virei cheguei ao fundo do corredor, ainda não tinha visto a sala. Um grupo de rapazes aproximou-se de mim:
- Estás perdida?
- Sabem onde é que é a sala nº 30?
- É do outro lado do corredor. Os números são um bocado marados nestas salas.
- Hum... Ok, obrigada- não fazia ideia de quem é que aqueles rapazes eram... Assim que me virei em direção ao outro lado do corredor senti uma mão no meu rabo. Virei-me outra vez e dei um estalo no rapaz que me tinha feito aquilo- É bom que isto não volte a acontecer....
- Eh lá!!! Ela está chateada!!!- respondeu o grupinho que me tinha ajudado. Eu ignorei, mas se algo do género voltasse a acontecer iria ser mais bruta.
Fui até à porta da minha sala. Ainda não tinha tocado, por isso estava toda a gente fora da sala. Aproveitei e fui para o pé do meu alvo. O Adam tinha uma mochila cheia de pins das suas bandas preferidas, por isso disse:
- Adoro a tua mochila!
- Hum obrigado. És nova, não és?
- Sim. Sou a Avril.
- Adam. Prazer! Espero que não te assustes com esta turma, mas é um bocado esquisita... És das primeiras pessoas a dizer que gosta destas bandas também.
- Sou a fã nº1!!! LOOl!!! Onde moras?- perguntei eu, sabendo o que ele me iria responder.
- Porque perguntas?
- É só que pereceu-me ver-te junto à minha nova casa, em Virginía, na rua st Dominik.
- E viste mesmo!! Eu moro aí! Como é que vais hoje para casa?
- Vou de autocarro. E tu?
- Eu também vou de autocarro, mas os meus irmãos vão depois de mim...
- Então no final das aulas podemos ir os dois.
Após ter-mos trocado os nº de telefone, entramos para a sala. O resto do dia até ao toque de saída foi passado com ele. No final, fomos os dois de autocarro até casa, mas ele recusou o meu convite para ir-mos para a minha, pois tinha treinos de rugby.
Ele era mesmo giro, não só pela cara e corpo, que era o que se sobressaía mais (alto e musculado, olhos verdes, cebelo castanho ondulado), mas também pelas atitudes ( ele foi mesmo simpático em ter vindo comigo e ter ficado comigo, embora tivesse vários amigos aos quais me apresentou). Este início tinha sido bastante bom.
Quando cheguei a casa estavam quase todos no sofá a ver televisão. Fui preparar qualquer coisa para comer, e quando me sentei no sofá, a Kerry já lá estava. O Aki virou-se para a Jo e disse:
-Que sorriso idiota é esse, menina?
Ela nao respondeu por isso a Kerry falo.
-Alguém está apaixonado nesta sala – insinuou ela.
-Oh, não me chateiem – reclamou a Jo, olhando novamente para a televisão.
Aki começou a rir-se e disse em tom de gozo:
-Aquele Tyler é todo bom, papava-o todo.
Eu e a Kerry desmanchamo-nos a rir mas a Jo não deu mostras de ter ouvido o comentário.
Estavamos a ver televisão quando vougue veio ter connosco e pediu um relatorio sobre como tinha corrido o dia. Por isso eu comecei:
- O Adam engraçou comigo, estive quase o dia todo com ele, e ele apresentou-me aos amigos. Acho que falta pouco para eu começar a saber mais pormenores sobre a sua vida privada, nomeadamente sobre a família. Tenciono entrar em casa dele o mais depressa possível.

AvrilBi
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 184
Reputação : 0
Idade : 19
Localização : Estou em todo o lado!!!

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Jo em Dom 11 Nov 2012, 18:17

-Comecei bem com o Tyler. Admito que ele me surpreendeu um bocadinho, mas penso que irá correr bem aqui para o meu lado. Pelo menos, ele pareceu-me interessado.
Depois de ouvirmos como tinha corrido o dia de todos, podemos ir para os quartos.
A nossa primeira aula no dia seguinte era educação física. Para começar bem o dia.
Como já previa, no segundo dia, já não fomos tão madrugadores e de manhã parecíamos quase zombies a comer o pequeno-almoço. Só me apetecia voltar novamente para a cama, lá é que se estava bem...

-Olá, Nicole. Sou a Anne - disse uma rapariga, no balneário. - Ontem não tivemos oportunidade de nos apresentarmos...
-Ah, olá, Anne.
Depois cada uma disse o seu nome.
-Então, já conhecias o Tyler? - perguntou.
-Não. Ele ontem apenas me ajudou... a orientar-me e isso.
-Mmm, não me pareceu só isso.
Fiquei vermelha.
-Mas foi só isso - sorri.
-Ok ok. Caso precises de alguma informação, podes perguntar-me. Eu sou amiga da irmã dele, a Grace.
-Então, Anne, a dar-se com a concorrência? - brincou uma delas.
-O quê? Gostas do Tyler?
Ela encolheu os ombros.
-Curtimos neste Verão.
Deu para perceber que ela ainda gostava dele, apesar de não me ter respondido à pergunta.
Fui com elas para o campo. Sentámo-nos nuns bancos suecos e pusemo-nos
a falar de roupa, gajos giros, etc.
Deduzira que Tyler era rapaz de curtes. Ou seja, eu não podia avançar demasiado rápido com ele, pois corria o risco de ser só mais uma e assim não ganhar a sua confiança, que era essencial para o progresso da missão.
Primeiro, tinha de me tornar sua amiga.
-Boas - cumprimentou Tyler. - Tudo bem, Nick?
-Tudo e contigo, Ty?
-Tudo - respondeu enquanto se sentava no meu colo.
-Hey, não és propriamente uma pena!
-Estás a chamar-me gordo indiretamente? - fingiu-se ofendido.
Ele estava a fazer força com as suas pernas, para que eu não levasse com o peso todo dele em cima. Cansava-se mais assim do que se estivesse em pé. Ao menos trabalhava os músculos das pernas...
-Agora dás-te por Ty? - interrogou Anne.
-Ná.
-Eu também não gosto de Nick - avisei. - Ele é que é estúpido.
-Chamaste estúpida a ti própria, porque também me chamas por um nome que não gosto.
Mostrei-lhe o dedo do meio. Agarrou-me no pulso.
-Como está a tua mão? - lembrou-se.
-Dói um bocadinho, nomeadamente quando levanto o dedo - sorri. – Mas não é nada demais.
-Não te esqueças que estás em dívida para comigo daquilo de ontem - lembrou-se do nada.
-No que é que me fui meter? - revirei os olhos.
Ele levantou-se e depois puxou-me. Fomos ter com a professora. Era a última aula de ginástica de solo. Eu e o Aki também tivemos uma avaliação só que não pesava muito, visto que não tivemos as aulas anteriores. Como fora treinada para ginasta de alta competição, os exercícios foram básicos para mim.
-Amanhã começamos com basquetebol - disse a stora no fim de aula. – É tudo por hoje.
-Ficas comigo agora no intervalo? - perguntou Tyler.
-Sim, claro.
-Fixe - tirou-me a fita do cabelo.
-Hey! - fui atrás dele, mas ele entrou no balneário dos rapazes.
-Ih, a tua franja está um máximo! - gozou.
-Pois, vem cá e quero ver se continua um máximo! - gritei, tentando depois alisá-la, o que foi em vão.
-Não entres, olha que o Liam está nú - disse.
-Tu vais ver, Ty!
Fui para o balneário feminino. Tomei um duche rápido e vesti-me.
-Dá-me isso - mandei, quando saí do ginásio e o vi encostado à parede com a minha fita posta.
-Eu preciso de uma para o ginásio.
-Eu tenho mais em casa e depois empresto-te. Essa é a minha preferida.
-Ok. Eu dou-te se me deres um beijinho aqui - apontou para os lábios.
-Carago, és impossível - virei costas.
Pôs o braço sobre os meus ombros.
-Toma - devolveu.
Enrolei a fita no pulso esquerdo e depois abracei-lhe a cintura.
-Ainda bem que não estás chateada - disse antes de me dar um beijo na testa. - E já agora podes ir ao ginásio, só que o melhor é ires comigo.
-Porque dizes isso?
-Não é boa ideia uma miúda ir sozinha para o meio de matulões, ainda por cima quando ela é bonita que se farta.
Senti-me corar.
-Então, quando vais?
-Todos os dias depois das aulas.
-Pode ser amanhã?
-Sim, claro. Traz já as cenas para a escola e assim dou-te boleia.
-Obrigada.
-Mais uma coisa, os meus primos vão fazer uma festa no sábado, queres ir comigo?
-Deixa-me falar com o Edward e depois digo-te qualquer coisa. Mas se o Jake for, eu também vou de certeza - disse, para assim dar imagem de uma família "normal" em que nós tínhamos de pedir autorização.
-Eu acho que vai.
Sentámo-nos nas bancadas, mas ele feito esperto, deitou-se, sendo o meu colo uma almofada.
-Queres faltar a esta aula? - não ligou ao me protesto por ele se ter deitado.
-Não. Agora não há desculpa para eu faltar.
-E se eu te prender agora e só te soltar a seguir ao primeiro toque?
-Eu falto, mas depois nunca mais te falo.
Mostrou a língua e sinal de desagrado.
-És má, Nick.
-Não sou nada, Ty - toquei ao de leve na ponta do seu nariz e voltei novamente a fazer festinhas no seu cabelo.
Reparei no colar dele. Peguei na chapinha. Tinha um T gravado.
-Mmm, fixe. Só reparei nele agora.
-Pois, os olhares ficam sempre dirigidos para a minha cara linda ou para os músculos.
-Oh pá, és sempre assim? - larguei o colar.
-Ná, és tu que...
-Passa aí a bola, por favor - pediu um miúdo.
A bola de futebol estava à beira das pernas dele. Levantou-se e pegou nela. Atirou-lha.
-Vamos até ao bar? - perguntei. - Tenho fome.
-Ok.
Fomos para lá e consegui obter a barrinha de snickers que tanto queria.
Dei uma dentada.
-Podes comer um bocadinho - dei-lhe o chocolate. - Mas só um bocadinho.
-Já foste - roubou-o.
-Nunca mais sou simpática!
-Ah ah, estou a brincar - disse antes de dar outra dentada no chocolate.
Devolveu-mo.
-És uma miúda porreira, Nick - disse.
-E tu és um gajo fixe, Ty.
Abraçou-me por uns segundos.
Ele esperou que eu acabasse de comer para bater à porta.
-Desculpe o atraso - pedimos, antes de entrarmos.
Não dava para falarmos muito, pois o professor ficava a olhar para nós com cara feia.
Era matemática, mas passei a aula a riscar no caderno, pois já tinha dado aquela matéria há séculos.
-Uau - disse quando olhei para o seu caderno. Tinha desenhado o nome “Nick”.
-Ainda não está pronto - disse, fechando-o.
-Temos artista, estou a ver.
Liam olhou para trás.
-Ele e a irmã são os artistas da família. Teem bué jeito nisto dos desenhos. Já eu e o meu irmão somos um zero...
-Liam!
-Desculpe, stor - disse, virando-se novamente para a frente.
“Estou ansiosa por ver o resultado”, escrevi no meu caderno.
Ele sorriu e deu-me um beijo na cara, que me apanhou de surpresa.
-Vocês aí ao fundo, é proibida qualquer demonstração de afeto dentro da sala de aula!
Toda a gente olhou para nós e eu senti-me a explodir. Baixei o olhar para o caderno.
“Gosto de te ver envergonhada” escreveu.
Ai, ai...
Tocou e eu senti-me mais calma.
-Nicole, queres estar connosco este intervalo? - Anne veio ter comigo.
-Sim, pode ser - agradeci aos céus.
Agora estava um bocadinho confusa e envergonhada demais para estar com ele. Sim, isto era uma missão e eu devia ser indiferente a sentimentos e isso. Mas no fim de contas eu tinha-os e não ia conseguir comportar-me como se não os tivesse.
Mas também havia uma parte positiva naquilo. Jake podia agora estar com Tyler também e ganhar a sua confiança para depois ter alguma hipótese com Grace.
Fui com elas para o bar da escola e sentámo-nos numa das mesas.
Vi-os lá ao fundo. Tinha-me esquecido completamente deles.
-Olá, meninas - disseram, depois de se aproximarem.
“Oh, fantástico”, pensei.
-Então, Nicole, queres apresentar-nos as tuas amigas?
Como é que eles sabiam o meu nome?
-Sou a Anne e... - a Anne salvou-me, pois eu não sabia o nome de todas elas.
-Ok, prazer em conhecer-vos. Mudando de assunto, Nicole, podemos dar-te uma palavrinha? - perguntou o que tinha a ferida no lábio.
Não, não podem. Ide mudar água à tartaruga, oh idiotas.
-O que querem?
-Em privado - olharam para o resto das miúdas.
Começou a tocar.
-Bem, nós vamos para as aulas - disse Anne.
“Não! Não me deixem aqui sozinha!”, pedi mentalmente enquanto elas se levantavam.
Sentaram-se à volta da mesa.
-Nicole, acho que começamos com o pé errado.
Eu tentava não os ouvir. Mesmo que me desse conta que eles eram fixes, eu não podia fazer nada, visto que Tyler não gostava deles.
Começaram a dizer os seus nomes.
-Estou a ver que não estás muito recetiva hoje. Pronto, quando mudares de ideias, podes vir ter connosco.
-Acabaram?
-Yap.
-Então, xauzinho - disse, enquanto me levantava.
Quando comecei a subir as escadas, deparei-me com Tyler, prestes a descer aquele lanço.
-Só pressa? - perguntei.
Suspirou.
-A Anne contou-me agora que eles foram ter contigo.
-Eles não fizeram nada. Só me disseram o nome e que queriam começar de novo e essas cenas.
Não deu para perceber bem a sua expressão, mas passado um bocado, fez um sorriso matreiro.
-E se eu agora te raptasse? Não está aqui ninguém e...
Olhei-o com cara de quem não estava para brincadeiras e comecei a andar em direção à sala.
-Desculpe o atraso - pedi. Aquilo já estava a tornar-se demasiado repetitivo.
-Tyler, eu por mim faltava todas as aulas. Mas não posso dar-me ao luxo de chumbar por faltas - “nem tu”, acrescentei mentalmente.
-Oh pá, às vezes é mais forte que eu. Eu sei que não tenho razão.
Liam e Jake viraram-se para trás.
-O que se passa? - perguntei.
-Trabalho de grupo. Então, e a atenção, maninha?
Encolhi os ombros e não lhe respondi.
-Sempre vais à festa do Liam e do Thomas, Jake? - perguntou Tyler.
-Sim, eu vou - respondeu.
-Então, sendo assim, o Edward também me deve deixar ir.
-Fixe - disse Tyler. - E amanhã não te esqueças, Nick.
-O quê? - perguntou Jake.
-Ele vai levar-me amanhã ao ginásio - respondi.
-Mmm, ok ok.
Respondemos num instante às perguntas da ficha que a stora deu.
Ficámos os últimos quinze minutos na galhofa, basicamente.
-Até amanhã - despedimo-nos.
Quando chegámos a casa contei que iria com Tyler para o tal ginásio e falámos acerca da festa para a qual estávamos convidados.
Também tive de referir o facto de ser "obrigada" a ir com calma com ele, porque correria o risco de não conseguir a sua confiança se assim fosse.


Última edição por Jo em Dom 17 Fev 2013, 17:36, editado 1 vez(es)

Jo
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 1098
Reputação : 0

Experiência de Agente
Estudos e Estratégia:
0/2500  (0/2500)
Experiência de Missão:
0/2500  (0/2500)
Capacidade Física:
0/2500  (0/2500)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Jo em Ter 20 Nov 2012, 14:47

Quando chegámos à mesa do bar, que era o ponto de encontro da turma, o Liam e o Tyler estavam a jogar às cartas.
-Bom dia - cumprimentei enquanto punha as mochilas no chão.
Quando acabaram o jogo, Tyler agarrou na presilha das minhas calças e puxou-me. Sentei-me na sua coxa direita.
-Que jogo é esse? - perguntei enquanto Liam baralhava as cartas.
-Speedy. Queres jogar?
-Não conheço.
-Aprendes - disse enquanto fazia dois montes de quatro cartas, viradas para baixo. Pôs os dois montes no meio da mesa e entre estes pôs duas cartas viradas para cima, lado a lado. Explicou as regras enquanto dividia o resto das cartas em dois montes.
Basicamente tinha-se de jogar uma carta acima ou abaixo da que estava na mesa. Por exemplo, se estivesse um dois, tinha-se de pôr um ás ou um três. Ganhava a pessoa que acabasse as suas cartas primeiro.
Deu-me o baralho de 21 cartas e eu tirei quatro. À medida que jogava tinha de tirar cartas do baralho, pois tinha de ter sempre quatro na mão (salvo ter acabado o baralho).
Era bué stressante, pois Liam jogava bué rápido.
-Ai... - disse enquanto olhava para as minhas cartas e verificava que nenhuma dava.
Ele também não tinha, por isso cada um tirou uma carta do baralho dos dois montes de quatro e pusemos virada para cima nos montes do meio.
Saiu o rei, e eu pude jogar o valete, a dama e outro valete novamente. Ele já só tinha três cartas na mão, e eu ainda tinha um baralho para acabar.
Tyler abraçou-me a barriga e encostou-me mais a ele.
-Joga essa - apontou para a dama.
Aquilo era mesmo irritante, pois às vezes tínhamos as cartas, mas não nos dávamos conta.
Joguei a dama e o dez. Mas antes que jogasse a outra dama que saíra, Liam jogou o 9, o oito e o sete acabando logo ao sua mão.
-Fogo! - queixei-me. - Quero jogar outra vez - aquele jogo era bué viciante.
Começou a tocar.
-Não, Nick. Agora temos aulas - provocou Tyler.
Levantei-me.
-Depois, quero jogar.
-Meu, não lhe devias ter mostrado este jogo. Agora em casa ela não vai parar de nos chatear para alguém jogar - queixou-se Jake.
Bati-lhe no braço.
-É mentira? - perguntou.
-Não - admiti.
-Desculpa, Jake - brincou Liam.
No intervalo, obriguei-os a jogar. E no final até já estava a ficar relativamente boa. Bastava apanhar o jeito. Era raro acontecerem empates, mas foi o que aconteceu no meu último jogo com o Tyler. Fiz uma festa por não ter perdido.
As nossas aulas acabavam às 16h.
-Tens carta? - perguntei, quando reparei que estávamos a dirigirmo-nos para uma mota.
Ele foi à carteira e mostrou-ma.
-Mesmo assim, acho que não confio... - disse, enquanto ele me dava um capacete.
Aceitei-o.
-Agarra-te a mim, que nada de mal te acontece - piscou o olho.
Abanei a cabeça. Pus o capacete e depois de ele subir, eu também o fiz. Como ele disse para fazer, abracei-o com força. Ali é que dava para perceber o quão grande ele era quando comparado comigo. Apesar de termos sensivelmente a mesma altura, ele era muito largo de ombros, enquanto eu era um palito que por ali andava.
Chegámos ao que parecia uma espécie de armazém, mas tinha um placard em cima que confirmava o facto de aquilo ser um ginásio.
-Boas - disse Tyler ao homem entroncado que estava no balcão. - Esta é a Nicole, que te falei no outro dia.
Ele sorriu para mim.
-Bem vinda, Nicole. O primeiro dia é sempre de graça. Depois caso te queiras inscrever, tratamos da papelada.
-Obrigada.
Apesar de por fora parecer que não havia boas condições, por dentro até era aceitável. Ao menos, os balneários estavam cinco estrelas para mim.
Dei-lhe a fita que lhe prometera no dia anterior e ele levou-me para a sala de cardio. Ensinou-me a mexer lá nas máquinas. Naquela sala nem havia assim muito matulões, mas a sala de musculação estava lotada deles. Tyler conhecia muitos deles, pois praticavam lá as lutas com
ele.
Também havia uma sala, cheia de espelhos, onde podíamos fazer trabalho sem aparelhos, como abdominais, flexões, etc...

Passei a toalha na barriga e nas costas. Estava a suar por todos os cantos.
Fomos para a salinha para fazer mais alguns exercícios e alongarmos.
-Estou a ver que arranjei uma companheira de ginásio - disse, ajudando me a levantar. - Tu estás mais ou menos no meu nível.
-Ah ah, mas na musculação deixo muito a desejar...
-Mas na passadeira ultrapassaste-me. Tens uma resistência ótima.
Pus a língua de fora.
-Ao menos uma coisa em que fui melhor.
Tirou a fita.
-Toma - entregou.
-Essa coisa toda suada? Agora só me dás amanhã, e limpa para não haver chatices - olhou para a toalha.
Ele fez um sorriso maléfico. Quando comecei a correr para a porta, ele já lá estava a impedir que eu passasse.
Pôs a fita novamente na cabeça e esticou o braço, conseguindo chegar à sua toalha sem sair da frente da porta.
-Tyler, nem pen... - saltei para trás quando ele atirou a toalha.
Nesse momento ele tirou a camisola. Fiquei ainda mais quente. Ele era mesmo bem constituído (se é que me entendem).
-Dá aqui um abracinho, Nick - abriu os braços.
-Ty, isso é nojento - tentei afastar-me dele.
Ainda tive esperança de conseguir escapar, mas quando vi que ele me tinha encurralado, virei-me para ele. Abraçou-me.
-Vou gregar tudo - disse, enquanto o empurrava suavemente. - Em cima de ti, se tu não te afastares.
-Mmm, estou desejoso - levantou-me do chão e pegou-me como se eu fosse um saco de batatas.
-TYLER!!!
Dei-lhe uma palmada no rabo.
-Ah ah, Bebé, não me desafies - bateu-me na coxa direita.
Saiu da sala e levou-me para o balneário.
-Se não precisasse da tua boleia, não falava mais contigo - disse-lhe quando me largou.
Deu um beijo no ar antes de ir para o seu balneário.
Quando entrei sentei-me logo no banco. Tinham passado quase 2h.

Ele já estava à minha espera.
-Deixa só mostrar-te o ringue.
Agarrou-me na mão e descemos umas escadas. Lá em baixo estava mais escuro e o ambiente parecia mais pesado ali. Estavam vários miúdos a treinar, uns matulões a saltar à corda, a dar murros no saco e outro grupo no ringue.
-No sábado de manhã, isto está vazio se quiseres praticar comigo alguma coisa.
-Não me digas que ias para aqui agora e só não vais por minha causa - chateei-me.
-Ná, à quarta eu não treino aqui em baixo - sorriu. - Não és assim tão importante.
Bati-lhe no braço.

Fomos para o parque de estacionamento. Disse-lhe onde morava.
-Eu moro aí perto - disse-me.
-Sério? Fixe - sorri.
A viagem demorou apenas alguns minutos.
Saí da mota e quando lhe ia entregar o capacete, ele abanou a cabeça.
-Amanhã venho buscar-te - ofereceu-se. - Por isso fica com ele.
-A sério, Tyler, tu estás sempre a fazer coisas por mim e eu ainda não fiz nada por ti. Assim, até me sinto uma cabra para contigo.
-Tipo, eu passo por aqui todas as manhãs. A minha irmã nunca vem comigo, logo há espaço para mais uma pessoa. É que se estivesses a incomodar, tudo bem. Mas não estás, parvinha. Às oito e quinze, estou aqui.
Arrancou logo, não me deixando contra-argumentar.
-Bonito - resmunguei.

Jo
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 1098
Reputação : 0

Experiência de Agente
Estudos e Estratégia:
0/2500  (0/2500)
Experiência de Missão:
0/2500  (0/2500)
Capacidade Física:
0/2500  (0/2500)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  KERRY1 em Ter 27 Nov 2012, 13:30

As coisas estavam a ir exatamente como deveriam ser. Eu ja tinha ganho a confiança de thomas, bom mais ou menos, ainda nao poderia chamar exatamente confiança. Em todas as aulas sentavame ao pé de thomas e embora eu deve-se estar atenta ás aulas, nao parava de conversar com ele. Não sei o que o atraiu em mim, mas desconfio que tenha sido o meu atribimento no primeiro dia de aulas. Até as aulas de fisica ele insistia para ficar a pares comigo. Era meio dia, tinha acabado de tomar um banho no balneario. Sai fora do pavilhao e ele já estava á minha espera.
- Entao hoje podemos almoçar juntos? Eu pago.- perguntou ele
- Sendo assim, Yah pode ser. - disse eu rindo
- Entao vamos a um restaurante aqui perto. Estou desejoso de comer caracois com...
- Molho picante? - disse eu
- Sim era exatamete isso que eu ia dizer. Tambem gostas?
- Se gosto? Eu adoro. Já á seculos que nao como caracois!
- Entao vamos reservar uma ninhada de caracois para o almoço! - disse ele.

Ele levou-me ate ao restaurante e fez o pedido. Começamos a comer os caracois com uns palititos. Ainda bem que gostava dos caracois, eu estava a comelos mas ao mesmo tempo a agradecer-lhes. (coitados dos caracois). Estava a ir bem no que tocava á missão, mas tinha de ter cuidado, apesar de ele nao ter fama de mulherengo, ele podia muito bem "usar-me" e depois desenteresar-se.
- Olha estava a pensar se no sabado queria ir comigo até á discoteca que existe aqui perto? - disse ele
- Isso é um encontro?
- Pode dizer-se que sim. - disse ele a rir-se. - quero que conhecas o meu irmão e alguns dos meus amigos mais chegados.
- Eu vou mas tens de me vir buscar.
- Eu apareco em tua casa.
- Nao fica muito longe da escola basta virares duas ruas á direita e uma á esquerda, é facil.
Acabamos de almoçar. Fomos para as aulas. No fim do dia fui para casa e começei a preparar o meu papel para o sabado.

KERRY1
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 57
Reputação : 0
Localização : top scret

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Jo em Sex 14 Dez 2012, 18:07

No sábado, fomos novamente para o ginásio. Estava praticamente deserto e isso permitiu-me tratar da papelada e ficar tudo em ordem.
Depois de um aquecimento na sala de cardio, fomos para a “cave”.
-Adoro saltar à corda! – disse quando ele me passou uma.
-Olha que não vamos saltar à menina.
Revirei os olhos.
-Quanto queres apostar que salto mais que tu? – desafiei.
-E que tal uma espécie de aposta “cega”?
Fiz cara de dúvida.
-Não dizemos o que queremos. Quem perder, tem de fazer o que o outro quiser a qualquer altura.
-Ok. Preparado para perder?
-Ao que parece tu é que estás.
O relógio chegou ao zero e começamos a saltar. Passados cinco minutos, paramos e olhamos para o mostrador que estava numa das pegas de cada corda.
-740 – disse-lhe.
Ele fez uma cara desiludida. Fiquei confiante.
-Oh pá, ainda não sei o que te pedir – mostrou-me os seus 760 saltos.
-Ai que estúpido! – gritei enquanto o empurrava com uma carga de ombro.
-Muito bem. Queres lutar, é? – perguntou antes de se atirar para cima de mim.
Ele não conseguia bater-me mesmo, no fim de contas eu era uma rapariga e isso fazia-lhe confusão. Ele só tentava pôr-me abaixo com rasteiras e essas técnicas todas estranhas, improvisadas no momento.
Para ele não pensar que eu era uma fraca, fui dando-lhe murros na barriga sem medo. Ele ia defendendo, mas à vezes não conseguia. Porém não se queixava. Agarrou-me os pulsos e tentou pregar-me uma rasteira. Apliquei uma técnica toda tola que aprendera no karaté. Caiu e eu pus-me em cima dele. Torci-lhe o braço.
-Está bom! – gritou.
Larguei-o e antes que me levantasse, ele agarrou-me e invertemos posições.
-Que batoteiro, pá! – queixei-me quando ele me prendeu os braços no chão com as suas mãos.
Aproximou a boca do meu pescoço e mexeu os lábios contra a minha pele.
-Para! – ordenei enquanto me contorcia por causa das cócegas.
Mas ele não me obedeceu.
Ouvimos pessoas a descer as escadas. Parou, finalmente. Levantou-se e puxou-me.
-A sério, Ty! Nunca mais faças isto – mandei enquanto esfregava o pescoço com a mão. – Fico bué aflita.
Saimos do ringue e sentámo-nos no banco. Tirei a t-shirt, ficando de top.
-Ai, essa barriguinha é demasiado tentadora! – disse.
-Nem penses em voltar a fazê-lo! A sério... - tentei afastá-lo.
-Ganhei a tal aposta, por isso...
-E queres desperdiça-la a fazer figuras estúpidas à frente dos outros?
-Mmm, tens razão.
Fomos para a “sala dos espelhos”.
Começámos a fazer os abdominais. De repente, ele atira-se para cima de mim. Conseguiu controlar-me.
-Tyler, não, NÃO, TYLER – comecei a rir-me quando ele voltou a fazê-lo, mas agora na minha barriga.
O alarme do seu telemóvel começou a tocar.
-Temos de ir – disse enquanto se levantava.
-Vais ver o que é bom daqui a uns dias.
-Espero bem que sim.

Fui com os meus irmãos à festa dos primos de Tyler. O motivo da festança era simplesmente eles gostarem de festas e borga.
Era num clubezito/disco, por isso não podíamos aproveitar para investigar nem nada.
Quando chegámos, fui logo ao balcão e pedi um cocktail qualquer. Agarraram-me a mão e olhei para a pessoa. Era Tyler. Levou-me lá para fora.
-Eu quero que vás comigo à feira popular. Estamos de volta a tempo.
-Feira popular?
-É o último dia. E eu ganhei a aposta, não te esqueças.
-Que se há de fazer? Sou uma mulher de palavra – encolhi os ombros.
Caminhámos durante meia hora para lá chegar. Andámos nas várias diversões e ele até ganhou para mim um urso de pelúcia super gigante.
Sentámo-nos num banco a ver o fogo de artifício enquanto comíamos algodão doce.
Era quase 1h a.m. quando fomos para a roda gigante.
-Sabias que tenho marcas na barriga por tua causa? – lembrei-me.
Ele riu e depois deu-me uma caixa, que tinha no bolso do casaco.
-O que é?
-Abre e já vês.
Abri a caixinha e vi um colar igual ao dele, só que com um N gravado.
-Tyler, não era preciso... - tirou o colar das minhas mãos e enfiou-o pela minha cabeça.
Agarrei o colar e olhei para baixo.
-Obrigada.
Encostei a minha testa ao seu ombro.
Afastou-se e com uma mão levantou-me o queixo.
Olhámo-nos nos olhos antes de ele me beijar. Correspondi.
-Nem sabes o quão ansioso estava – disse, depois de sairmos da roda.
Eu mantive-me em silêncio, fazendo o papel de não estando a contar com nada daquilo. Apenas apertei o urso contra mim. Chegámos a minha casa, que ficava mais perto que o clube.
-Desculpa – resolveu pedir.
Agarrou-me a cara, mas eu afastei-o.
-Não peças. Eu... eu gostei.
Ficou mais aliviado ao ver que não estava zangada.
-Amanhã, venho buscar-te novamente.
Disse que sim com a cabeça.
-Xau.
-Até amanhã.
Hesitou um bocado, mas decidiu-se por um beijo de despedida na minha testa.

Jo
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 1098
Reputação : 0

Experiência de Agente
Estudos e Estratégia:
0/2500  (0/2500)
Experiência de Missão:
0/2500  (0/2500)
Capacidade Física:
0/2500  (0/2500)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Jo em Qua 02 Jan 2013, 20:30

O meu telemóvel começou a tocar, ou seja, ele estava lá fora. Era essa a nossa rotina, para ninguém ficar à espera de ninguém.
No caminho, vimo-nos envolvidos num intenso trânsito, não conseguindo progredir, mesmo de moto.
Estávamos atrasados, por isso quando chegámos, fomos a correr para a sala.
A professora ainda não tinha chegado, se calhar também ficara retida no engarrafamento.
Ele encostou-se aos cacifos. Agarrou-me o pulso e puxou-me para ele. Pousou as mãos na minha cintura e eu agarrei a bainha da sua camisola.
-Bom dia - cumprimentou. Não tiveramos tempo para nos cumprimentarmos como deve ser.
-Bom dia - sorri.
-Olá! - meteu-se Anne. - Na hora do almoço, vamos fazer uma espécie de piquenique por causa dos meus anos. Se tiraram a senha, cancelem. Venham, please.
Ele olhou para mim e eu assenti.
-Nós vamos - disse. - Já agora, parabéns.
-Obrigada - sorriu.
Depois a stora chegou e nós entrámos.
-Queres mesmo ir? - perguntou.
-Comida de graça... porque não?
-Bem visto.
-Até parece que não me conheces.
Senti-me mal por ter dito aquilo, pois ele nem o meu nome sabia.
Agarrou-me a mão e beijou-a.
-Acerca de ontem...
-Falamos disso depois das aulas. É melhor - interrompi.
-Meninos! - a stora chamou.
Sentámo-nos direitos, mas ele continuou a agarrar-me a mão.

Na hora do almoço, fomos para os bancos perto dos campos desportivos.
Estivemos a enfardar e depois cantámos os parabéns. A seguir, fomos para o bufete.
Já éramos poucos, por isso sentámo-nos à volta de uma mesa redonda. Reparei que Anne tentou a todo o custo ficar ao lado de Tyler. Nos poucos minutos que ali estivemos ela estava a atirar-se a ele praticamente. Só faltava dizer para todos se irem embora pois queria ficar com ele sozinha. Em contrapartida, Tyler não lhe passava muita confiança e estava a ficar visivelmente aborrecido. Pousou a mão na minha coxa e eu olhei para ele.
-Vamos? - mimou.
Disse que sim com a cabeça, pois também já não estava a gostar da postura dela.
-Bem,...
-Esperem! - interrompeu Anne. - Vamos fazer o jogo da carta - disse, indo num instante à mochila e tirando um baralho de cartas.
-Começo eu! - disse Mary, pegando uma carta.
-O que é isto? - perguntei ao Tyler.
-Tens de passar a carta de boca em boca. Mas rápido, porque é difícil suster a respiração durante muito tempo. O objetivo é dar a volta e depois voltar.
-Queres jogar? - surpreendi-me.
-Até é fixe - sorriu. - Mas tu não queres?
-Nunca experimentei, por isso tanto faz - encolhi os ombros.
Percebi porque Anne queria tanto ficar ao lado dele. Pelo rumo das coisas, ela ia ter de trocar a carta com Tyler. Bufei mentalmente.
Mas mal a carta tocou na boca de Tyler, ele a sugou e afastou-se de Anne num instante. Virou-se para mim. Aproximei-me. Quando estava prestes a chegar à carta, ele deixou-a cair! Ia-me afastar, mas ele abraçou-me com um braço e aproximou-se na mesma. Empurrei-o ligeiramente. Mas só parou muito depois.
-Eu tenho de ir - disse, depois de ele se afastar, enquanto pegava na minha mala.
Sentia-me a escaldar. A carta estava no chão e eu pu-la novamente na mesa.
-Espero que se divirtam - sorri, antes de dar o bota.
E pronto estava feito. Ele estava já pelo beicinho. Agora só faltava aproveitar isto para reunir as informações de que precisava.
Sabia que ele estava atrás de mim. Se não estava, então eu tinha feito algo errado. Fui até à mota e sentei-me no passeio. Passado um bocado, estava ele a sentar-se ao meu lado.
-Desculpa se te envergonhei - pediu.
-Ai, então não pedes desculpa por me teres beijado? Eu vi que a deixaste cair de propósito.
-Admite lá, gostaste da surpresa.
-Sim, concordo na parte da surpresa. Oh pá, e o que eles irão pensar?
-Vão pensar que a Anne fez figura de estúpida, o que é altamente.
-Mas não vão pensar só isso - adverti-o.
-O que é que eles vão pensar mais? - provocou.
-Que andamos...
-E isso é mentira? - interrompeu-me.
-Não sei, diz-me tu.
Agarrei no colar que ele me dera.
-Nick, tu és tão diferente das outras miúdas...
-Não comeces com isso. Tu já sabes que eu fico bué envergonhada.
Aproximou-se e beijou-me suavemente. Correspondi-lhe.
Deu-me um beijo na ponta do nariz e abraçou-me com força.
-Amo-te, Nick.
Senti-me mal novamente por sua causa.
-Eu também, Ty.
-Amas-te a ti própria, é? - perguntou enquanto se afastava.
Dei-lhe um calduço.
-Violência no namoro. Acho que vou fazer queixa de ti.
-Ninguém acreditaria em ti. Sou demasiado fofa.
Despenteou-me a franja.
-Nunca mais, Ty. Ouviste? Se voltas a fazê-lo, vais logo para o hospital - disse enquanto tentava pô-la direita.
Bufei. Não a conseguia ajeitar.
-A sério, Ty.
Ele ajudou-me a pô-la direita.
-Linda novamente.
-Pensei que era bonita a qualquer altura e qualquer das maneiras.
-Ná, só às vezes.
-Ai é? Não me dirijas mais a palavra.
Beijou-me.
-Para quê palavras? Posso muito viver assim.
Abanei a cabeça.
Tirou o seu colar e eu tirei o meu.
-Só para oficializar a coisa - enquanto punhamos o colar no pescoço do outro.
-Ui, que romântico - gozei antes de ele me beijar.
Alguém pigarreou. Olhámos para cima. Dava-me ar daquele senhor, devia ser algum professor ou algo do género.
-Gabinete do diretor, JÁ!
Fiquei estupefacta. Nem dentro da escola estávamos.
-Não estamos a fazer nada de mal - defendi.
-Estavam nestas poucas vergonhas num espaço público, com crianças a passar.
Ri-me com a estupidez da situação.
-Eu não estou a acreditar...
Então, ele começou a rir.
-Ai, não aguento - disse, desmanchando-se ainda mais.
Olhei para o Tyler e ele parecia um bocado constrangido. E depois a lâmpada acendeu-se. Ele não era um professor, era o pai de Tyler.
-O que estás aqui a fazer? - perguntou Tyler.
-O que se passa? - fingi-me "perdida".
-É o meu pai.
-Talon Missy - esticou o braço.
-Nicole Walker.
Apertei a sua mão.
-Fico contente por conhecer uma namorada aqui do Tyler.
Limitei-me a sorrir.
-Porque vieste?
-Venho falar com o diretor de turma da tua irmã, por causa das faltas da outra vez.
-Ah, ok.
-Depois tens de jantar lá em casa - dirigiu-se a mim. - Quer dizer, não é todos os dias que conhecemos a namorada do nosso filho... ainda por cima quando é tão bonita.
-Obrigada - sorri.
-Tenham juízo - aconselhou antes de ir embora.
-Ai que vergonha! - disse enquanto escondia a cara no seu peito.
Abraçou-me.
-Awkward moment - riu-se.
-MESMO.
Afastou-se.
-Então, vens jantar lá em casa sábado?
-Achas boa ideia?
-Claro. Foi o meu próprio pai que convidou.
-Deixa falar como Edward.
-Aliás, no sábado podes ficar por minha conta. De manhã, vamos ao ginásio e depois... depois vês.
-E quando é que tu podes ficar por minha conta?
-Tu não conheces nada aqui, acho. Para onde me levarias?! Ah, para o teu quarto... mmm, tou a gostar da ideia.
-Estúpido. Por acaso, estava a pensar no parque que até tem gaivotas para andar. Super fofo.
-Ok. No próximo fim de semana vamos lá.
Tocou para entrar e quando chegámos todos olharam para nós. Já devia contar com aquilo.
-O que eles devem estar a pensar... - gozou.
-Nada - desejei.
-Oh pois, beijámo-nos e depois bazámos. Agora aparecemos de mãos dadas... Ná, eles não irão pensar nada - ironizou.
-Parvo.
Entrámos na sala quando o professor chegou.
-O desenho? - perguntei.
-Ainda não terminei, mas está quase.
-Estou ansiosa por ver - sorri.

Jo
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 1098
Reputação : 0

Experiência de Agente
Estudos e Estratégia:
0/2500  (0/2500)
Experiência de Missão:
0/2500  (0/2500)
Capacidade Física:
0/2500  (0/2500)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Jo em Dom 17 Fev 2013, 18:11

Pousei cuidadosamente a mochila no chão quando entrei no seu quarto. Por debaixo da roupa, numa bolsa meia escondida, disfarçada no forro, estava um equipamento de vigilância assim rasca, que dava transportar assim numa boa sem ninguém reparar, apesar da qualidade não ser das melhores. Não sabia se valeria a pena levar visto que iria estar quase sempre com o Tyler, mas também mais valia ir prevenida.
Havia um saco de boxe num dos cantos, a cama estava desfeita, uma parte da parede estava coberta com poster e outra mais pequena com CD's. Tinha uma televisão antiga, mas a aparelhagem era recente. A secretária estava numa bagunça autêntica.
-Ao menos ainda não vi roupa interior suja espalhada por aí - brinquei.
-Oh, para quê arrumar, se volta tudo ao mesmo?!
-De certa forma, tens razão.
Aproximou-se e beijou-me. Caímos na cama.

Bateram à porta e parámos.
-Tyler, vem almoçar.
Ele foi abrir a porta enquanto eu ajeitava o cabelo.
-Eu disse ontem que almoçava perto do ginásio.
-Ah, pois foi. Mas não tens fome nenhuma?
-Ná.
Fechou a porta.
-Podias ter ido. Não morria por ficar uns minutos sozinha.
-Não quero arriscar. Não posso perder-te.
-Ui, vamos começar uma declaração de amor?
-Não. Só estava a dizer o que pensava, assim de momento.
-É pena. Se fosse, podias ter tido uma recompensa. Mas já que não era...
-Isso quer dizer, que caso eu faça uma declaração de amor, tu recompensas-me?!
-Yap. Mas não quero uma improvisada, quero uma como deve ser.
-Mmm, ok ok. Vai preparando a recompensa então.
Sorri.

Ficámos a ver uns filmes de comédia, de suspense e drama. Foi uma mistura qualquer. Claro que não vimos só filmes, mas isso é outra história.
Depois descemos para jantar.
-Boa noite - cumprimentou Talon.
-Esta é a Nicole - apresentou Tyler enquanto eu os cumprimentava.
Sentei-me ao lado dele e à frente de Grace.
Olhei para o quadro que estava na parede da sala. Reconheci o senhor que estava sentado no cadeirão, com o resto da família à volta.
-É o meu avô - disse Tyler.
Jade voltou a entrar, mas agora com comida. Ofereci-me para ajudar, mas ela não quis.
-És parecido com ele - verifiquei.
-Reparaste, Nicole? - perguntou Talon.
Sorri em resposta.
-Sabes? Ele foi um bom e grande homem. Ajudou imensa gente, uma ótima pessoa é o que é. Espero que Tyler seja como ele, mas que não acabe da mesma maneira - ficou com uma expressão triste.
-Oh, sinto muito.
-Ah, não... já foi há muito tempo.
Reparei que Tyler estava tenso, como se ele não gostasse do que o pai estava a falar.
-Pois, mas devem sentir a sua falta.
Encolheu os ombros.
-Sim, mas não é a falta que o irá fazer ressuscitar.
A mesa caiu num silêncio constrangedor.
-Falando de outra coisa... então, Nicole, como vieste aqui parar?
E voltei a contar toda a história da Nicole. Enquanto contava, pensava na conversa que tiveramos. Não, Fergus não estava morto. Faltava saber se ele mentiu deliberadamente ou se pensava que isso tivera acontecido efetivamente. Se a última hipótese fosse verdade, a probabilidade de encontrar o velho diminuia.
Como a mãe de Tyler não trabalhava nem tinham saídas de rotina, não sabíamos quando a casa estava vazia para instalar as escutas e isso. Devido ao problema de coração de Grace também não podiamos arriscarnos a usar algo para adormecer toda a gente.
Eu tinha de arranhar maneira de saber previamente quando é que o caminho estaria livre.
-Queres vir, Nicole? - perguntou Grace.
Acordei do meu pensamento.
-Aqui a Nicole já estava a dormir - gozou Tyler.
-Ai, desculpem - pedi.
-Não faz mal - sorriu. - Queres ir amanhã connosco ao shopping? Está a haver um concurso de melhor logotipo para uma loja de animais. Eu concorri e amanhã de manhã sabe-se o vencedor.
E...bingo!
-Não sei se posso.
-Eu também vou - sorriu Tyler. - Aliás, todos vamos, incluindo os meus primos.
-É bem, mas não sei. Tenho de falar com o Edward.
-Espero que apareças - sorriu a miúda.
-Vou tentar. E boa sorte!
-Obrigada.
-Ela não precisa de sorte. O logotipo dela estava brutal.
-Cala-te, Tyler - pediu.
-O quê? Só estava a dizer a verdade. Mmm, vamos, Nick?
Disse que sim com a cabeça.
Fomos para um pub lá perto. Pedimos uma bebida e ficámos à espera do resto do pessoal.
Passamos a noite na pista de dança o que foi bastante fixe. A música estava excelente e era só pessoal porreiro.
Depois, voltamos a sua casa para vir buscar a minha mochila e ele levou-me para a minha casa.

Jo
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 1098
Reputação : 0

Experiência de Agente
Estudos e Estratégia:
0/2500  (0/2500)
Experiência de Missão:
0/2500  (0/2500)
Capacidade Física:
0/2500  (0/2500)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Jo em Ter 26 Mar 2013, 11:46

-Foi muito acima da hora e não posso. Hoje é o dia da família - disse, quando Tyler me telefonou de manhã.
-É pena. Queria que viesses. Até amanhã, então. Beijinhos.
-Beijinhos.
Eles iriam estar fora das 10h às 12h, pelo menos. Teria tempo de sobra para instalar as escutas. Cada um foi para a casa do seu alvo, ou seja, o Aki foi comigo até à casa de Tyler.
Forçamos a porta das traseiras e entrámos. Pusemos as escutas em sítios que pensávamos que fossem bons "esconderijos", como, por exemplo, debaixo dos sofás da sala; de uma gaveta na secretária do escritório, etc.
Como as escutas eram pequenas e o recetor não estava propriamente perto, tinhamos também de instalar um amplificador de sinal.
-Oh pá, onde pomos isto?
O alpendre estava perto o suficiente para estar dentro do alcance, por isso fomos para lá. Hávia umas tábuas soltas e depois de as forçar um bocadinho, reparámos que entrava perfeitamente. Pusemos lá e fechámos melhor aquilo. Depois arrastámos o sofá exterior de volta ao sítio, ficando por cima do amplificador.
-Feito - sorri.
Fomos para o escritório novamente à procura de papelada, mas nada tinha a ver com o avô de Tyler.
-Podemos ir ao sótão. Pode ter algo.
Fomos para cima. Depois de alguma procura, encontramos alguma coisa. Eram cartas.
-Quem é esta Sophie Parker? - perguntei quando peguei numa carta.
-Não faço a mínima, mas isto está cheio de cartas assinadas por ela.
-Oh... cartas de amor, que fofo - disse depois de ler algumas.
O alarme do relógio tocou. O concurso terminou, por isso tinhamos de bazar.
-Temos de voltar aqui definitivamente - disse-lhe enquanto arrumávamos as tralhas. - Ainda há muito para ver.
Só respirámos de alívio quando chegamos a casa.
-Sophie Parker, alguém sabe quem é? - perguntamos quando estavam todos reunidos na sala.
Ninguém sabia, e nem mesmo a pesquisa que fizemos pela Internet trouxe alguma informação.
Como não conseguimos encontrar nada e já estavamos a ficar cansados, decidimos parar.
-Ainda a pensar? - perguntou Kerry.
-Yap. A Sophie Parker não me sai da cabeça.
-Tu leste cartas suficientes para perceber o que se passava?
-Um amor proibido. Ela dizia para ele não ser tolo e para não contar o que se passava entre os dois numa dessas cartas. Tenho mesmo de lá voltar.
-As cartas estavam datadas?
-Noup.
Ficámos a olhar para a tv. Eu tinha de descobrir quem ela era. Algo me dizia que se descobrisse, daríamos um grande passo na missão.

Jo
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 1098
Reputação : 0

Experiência de Agente
Estudos e Estratégia:
0/2500  (0/2500)
Experiência de Missão:
0/2500  (0/2500)
Capacidade Física:
0/2500  (0/2500)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Jo em Dom 21 Abr 2013, 16:15

Abri o cacifo. Como eu temia, os livros cairam todos ao chão. Com a pressa de ir para o almoço, pusera tudo à balda e ali estavam as consequências.
Tyler ia faltar o resto da tarde, pois ia a uma consulta. Grace sempre ganhou o concurso, e recebeu um cheque prenda no valor de 500euros e o seu logótipo tornou-se no da loja.
-Com licença - um rapaz ajudou-me a pegar nas coisas.
-Oh, obrigada - agradeci. - Ah, és tu - disse, quando me levantei e ele me entregou as coisas.
-O Tyler fez-te a cabeça para não te aproximares de mim? Não sei do que ele tem medo.
-Não, não me fez a cabeça. A vossa primeira abordagem é que não foi das melhores - fechei o cacifo.
-Eu sei que me passei e já pedi desculpa por isso.
Então olhei para ele e reparei naqueles olhos. Aquilo não era possível...
-Porque é que vocês não se dão bem?
Encolheu os ombros.
-Não é de nós. A nossa família não se dá.
-Isso quer dizer que vocês nunca se deram mesmo? - admirei-me. - Já reparaste que vocês até podiam ser melhores amigos se...
-Sim, até temos o mesmo gosto no que toca a miúdas.
Parei e olhei para ele com cara de poucos amigos.
-Desculpa. Já não falo.
-Bem, é melhor ir ter com a minha turma. Fui - despedi-me.
-Toma - deu-me um cartão. - Dá sinais de vida qualquer dia - piscou o olho.
Tive de ser eu a afastar-me.
Grace veio ter comigo.
-Queres juntar-te a nós? - perguntou, apontando para o grupo de amigos.
-Pode ser - sorri.
Ficámos a jogar ao desconfia e ao olho. O tempo passou depressa, ao contrário da aula. Sem o Tyler aquilo foi uma seca.

Jo
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 1098
Reputação : 0

Experiência de Agente
Estudos e Estratégia:
0/2500  (0/2500)
Experiência de Missão:
0/2500  (0/2500)
Capacidade Física:
0/2500  (0/2500)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Jo em Sab 04 Maio 2013, 11:57

Enquanto não tivesse provas suficientes que relacionassem Toby ao caso, não tinha acesso ao que eu precisava. Também não queria dizer o que eu estava a pensar, pois eles matar-se-iam a rir na minha cara. Restava-me investigar por conta própria. Desde que não pusesse em risco a minha relação com Tyler, tudo bem. Tinha de arranjar forma de voltar ao sótão. Isso não me saía da cabeça.
No sábado, combinámos ir ao parque. Fomos dar uma volta na gaivota.
-Quando é que temos a tua casa só para nós? - perguntei.
Ele parou de pedalar.
-Porque perguntas?
-Porque na minha está sempre alguém... e eu gostava de ter um pouco de privacidade contigo.
Eu sabia que ele o queria, senão não tinha sido tão direta.
-Mmm, estou a gostar do rumo da conversa - fez um sorriso perverso.
-Oh, parvo.
-Acho que assim não teremos sorte, porque está sempre alguém em casa. Exceto na manhã da segunda quarta de todos os meses, ou seja, podemos faltar às aulas nesta quarta - beijou-me perto do maxilar.
-Mau timing. Nesta quarta tenho consulta no médico. Marquei para de manhã para faltar às aulas mais secantes.
-Também temos tempo.
-Se temos.
Ficámos a passear pelo resto do parque e era já de noite quando ele me levou para casa.

Jo
T-Shirt Cinzenta
T-Shirt Cinzenta

Pontos Agente CHERUB : 1
Mensagens : 1098
Reputação : 0

Experiência de Agente
Estudos e Estratégia:
0/2500  (0/2500)
Experiência de Missão:
0/2500  (0/2500)
Capacidade Física:
0/2500  (0/2500)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Missão] Herói Torna-se Traidor

Mensagem  Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 08:11


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum